Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Caiado diz que jurista goiano no comando do TRF1 engrandece o estado

Caiado acompanha posse do jurista goiano João Batista Moreira como presidente do TRF1 (Fotos: Júnior Guimarães)

A contribuição do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) para o sistema judiciário brasileiro foi destacada pelo governador Ronaldo Caiado na tarde desta quinta-feira (25/04), após solenidade de posse dos novos dirigentes da corte, em Brasília.

A diretoria eleita para o biênio 2024-2026 tem o desembargador federal João Batista Moreira como presidente. “Um goiano assumindo a presidência faz com que Goiás se engrandeça, se orgulhe por participar dos julgamentos de alta relevância”, disse Caiado.

TRF1

A cerimônia foi realizada no plenário do TRF1. O governador representou o estado de Goiás, que está sob jurisdição do tribunal, juntamente com outras 12 unidades da federação (Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Mato Grosso, Maranhão, Piauí, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins).

“Quanto mais tivermos o estado representado, maior relevância terá o povo goiano”, ressaltou o chefe do Executivo goiano na posse dos magistrados (Fotos: Júnior Guimarães)

“Temos muito a oferecer para o país com a experiência, o trabalho e com a determinação. Quanto mais tivermos o estado representado, maior relevância terá o povo goiano”, ressaltou o chefe do Executivo goiano ao enaltecer a eleição dos magistrados.

Em discurso, o novo presidente relembrou casos emblemáticos do Tribunal, a contribuição histórica de grandes juristas e os desafios de seu mandado, que ele espera exercer com a contribuição de colegas. “Espero poder continuar o trabalho de outros grandes presidentes”, declarou João Batista Moreira.

A nova diretoria do TRF1 terá também a desembargadora federal Gilda Sigmaringa Seixas no cargo de vice-presidente e o desembargador federal Ney Bello como corregedor regional. Eles foram eleitos durante sessão realizada em 08 de fevereiro último. A corte é responsável por julgamentos na segunda instância da justiça federal.