Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Gayer chama Sylvie de “louca” e diz que “falta amor” na vida de deputada

Gayer atribui a irritação da deputada ao fato de ter exposto o voto dela em relação ao projeto de lei que taxa serviços de streaming, como o Netflix

Os deputados federais Gustavo Gayer (PL) e Silvye Alves (União Brasil), ambos de Goiás, se desentenderam e trocaram acusações no plenário da Câmara nesta terça-feira (14). Ele afirma que foi agredido pela colega. Ela, que foi vítima de uma mentira do parlamentar.

 Gayer atribui a irritação da deputada ao fato de ter exposto o voto dela em relação ao projeto de lei que taxa serviços de streaming, como o Netflix: “Não sabe defender o voto, agora vem para a agressão, tentou pegar meu celular. Alguém dá um calmante para essa mulher. Votou a favor da urgência e está achando ruim que eu divulguei o voto”, disse Gayer.

Ao mesmo tempo em que Gayer falava, é possível ouvir a voz de Silvye dizendo: “Fala a verdade para o seu público. Ele está mentindo. Gustavo, fala a verdade. A gente acabou de votar contra o PL”.

Depois, Silvye compartilhou uma mensagem com sua explicação para o episódio. Nele, argumentou que votou a favor da urgência do projeto em 2023, mas que votaria contra o texto caso ele fosse levado ao plenário nesta terça.

“O PL8889/2017, que trata da taxação do streaming, seria votado hoje [terça], mas foi retirado de pauta. Mesmo assim, Gustavo Gayer soltou no Twitter a relação de deputados goianos que teriam votado ‘sim’ para a taxação do streaming. A votação a que ele se referia, no entanto, era de 2023, quando foi votada a urgência para se apreciar o projeto”, disse, referindo-se a seu voto no ano passado.

“De lá para cá, o projeto sofreu alterações. Antes de ser levado ao plenário nesta terça-feira, Silvye Alves e outros colegas de partido chegaram a gravar um vídeo dizendo que votariam ‘não’ à taxação do streaming”, finalizou a mensagem divulgada pela deputada.

Silvye e Gayer já foram apontados como possíveis adversários na disputa pela Prefeitura de Goiânia. A deputada, contudo, tem dito nos bastidores que não planeja concorrer este ano, diferentemente do parlamentar do PL, que terá o apoio de Bolsonaro no pleito municipal.