Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Homem mata a mãe e corta a mão dela para sacar dinheiro em banco

Em depoimento, o homem disse que a mãe fez um ritual nele em um momento anterior e que por isso cometeu o crime, como forma de vingança

O homem que foi preso no sábado (20), suspeito de matar a mãe a facadas em Salvador, confessou em depoimento que cometeu o crime durante a prática de um ritual. Além disso, ele disse que decepou a mão dela porque precisava do membro para retirar dinheiro em uma agência bancária.

O caso aconteceu no bairro de Valéria, na casa da vítima, que fica na localidade conhecida como “Boca da Mata de Valéria”. A mulher foi identificada como Sandra Maria dos Santos Carvalho.

O suspeito, identificado como José Natan dos Santos Carvalho, passou por audiência de custódia nesta segunda-feira (22) e teve a prisão em flagrante convertida em preventiva.

Em depoimento, o homem disse que a mãe fez um ritual nele em um momento anterior e que por isso cometeu o crime, como forma de vingança. Ele não contou, porém, quando isso aconteceu.

Sandra Maria foi golpeada no pescoço, e depois teve a mão arrancada. A Justiça não detalhou se ele chegou a ir até o banco para fazer retiradas da conta bancária da mãe.

Questionada sobre o caso, a Polícia Civil disse que o inquérito está em andamento e não forneceu detalhes a respeito.

No sábado, equipes da 31ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) foram acionadas com a informação de que uma mulher estava morta no local. Quando chegaram ao imóvel, os agentes encontraram o corpo de Sandra Maria em estado de gigantismo, no quintal do imóvel.

No cadáver, não havia sinais de luta corporal, e não é possível precisar quando José Natan cometeu o ataque. O corpo da mulher foi levado para o Instituto Médico Legal (IML), para ser necropsiado.

O suspeito foi preso em flagrante no local do crime. A arma utilizada no ataque foi encontrada debaixo da pia da cozinha e foi encaminhada para perícia no Departamento de Polícia Técnica. O caso é investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).